Lugares, Untitled

O Junqueira…

DSC01477.JPG

Dumskaya nrº 7

O Junqueira encosta a alma
Na parede que o sustenta
O frio da escuridão
Baila na sua marcha lenta.

Chegado a casa treme mas não de frio
Pelo corpo que jaz no fundo do rio.
Junqueira ninguém te viu.

O Junqueira não tem medo
Da justiça que é terrena
E a outra que se diz divina
Sabe não valer a pena.

A porta abre e uma sombra cai dentro de si
Corre como quem foge de Nagasaki.
O Junqueira não mora aqui.

O Junqueira diz que não,
O tiro era mesmo para seu irmão!
Que de forma quase abençoada
Maltratava esposa, filha e sogra amada.

É a aritmética de um pecador sem jejum
Para baixar o mal do Mundo comum,
Dantes sofriam três, agora sofre um.

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s